Noites de Queluz regressam para invocar esplendor setecentista através da música

A 6ª Temporada de Música da Parques de Sintra, organizada em parceria com o Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal – Divino Sospiro e com direção artística de Massimo Mazzeo, foi muito diferente das anteriores. Em face da pandemia que se propagou rápida e inesperadamente pelo planeta, a temporada centra-se, este ano, nas “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”, com início a 16 de outubro.

 

Com a sua Temporada de Música, ano após ano, a Parques de Sintra tem vindo a proporcionar ao público a possibilidade de reviver a memória imaterial dos Palácios Nacionais da Pena, Sintra e Queluz através da música que animou estes monumentos nas respetivas épocas de vivência. Neste ano de 2020, que veio alterar tão substancialmente os quotidianos de todos, o surgimento da pandemia de Covid-19 ditou o cancelamento dos ciclos “Serões Musicais no Palácio da Pena” e “Reencontros – Memórias Musicais do Palácio de Sintra”. No entanto, uma vez asseguradas as indispensáveis condições de segurança, em outubro e novembro, retomar-se-á esta Temporada com a invocação do esplendor setecentista nas “Noites de Queluz”, que oferecem aos espetadores um novo programa de excelência, com os mais conceituados intérpretes especializados na música da época.

 

Os 9 concertos deste ciclo percorrerão obras notáveis, como a “Gran Partita” de Mozart, interpretadas por alguns dos maiores nomes do panorama musical internacional, como Andreas Staier, Nuria Rial, Roberta Mameli, Laura Pontecorvo, Rinaldo Alessandrini, Stefania Neonato, o Ensemble Mare Nostrum de Andrea de Carlo e o aclamado Le Concert de L’Hostel Dieu.

 

Esta edição conta com um Concerto para Famílias, que tem como objetivo aproximar os mais novos da música setecentista, e uma masterclass dirigida a cantores e instrumentistas, que tem como objetivo transmitir uma nova abordagem técnica e interpretativa da língua italiana na música cantada dos séculos XVII e XVIII.

PSML Luís Duarte 4881