4 de junho: Parque e Palácio de Monserrate com acessos condicionado. Saiba mais /// Palácio da Pena: visita apenas com data e hora marcada, indicadas no seu bilhete; não existe tolerância de atraso. Saiba mais

Concerto para famílias no Palácio de Queluz

Conheça os músicos responsáveis pelo concerto para famílias no Palácio Nacional de Sintra, no dia 30 de outubro de 2022, um concerto no âmbito da Temporada de Música 2022 da Parques de Sintra. 

221030 02 Divinosospiro Lux Oct 22 1

Divino Sospiro

Divino Sospiro é uma orquestra barroca fundada sobre os princípios de qualidade e da fidelidade da interpretação, que enfrenta o repertório antigo sem, no entanto, abdicar do seu próprio instinto criativo. Foi criada com a vontade de despertar um novo gosto estético, uma nova paixão pelo “ouvir”, uma nova reflexão sobre o sentido da música e dos músicos.

Desde a sua criação, participou em alguns dos mais prestigiados festivais e apresentou-se em concerto nalgumas das mais importantes salas de Portugal, incluindo a Fundação Calouste Gulbenkian, o Centro Cultural de Belém, a Casa da Música, a Companhia Nacional de Bailado e o Teatro Nacional de São Carlos, tendo-se ainda apresentado em alguns dos mais prestigiados festivais e principais auditórios estrangeiros, entre os quais se destacam: Folle Journée de Nantes (França), Folle Journée au Japon (Tóquio), Muzikfest Bremen (Alemanha), Auditório Nacional de Espanha em Madrid, La Valletta Early Music Festival (Malta), Halle Festspiele e Festival d’Ambronay (França). A Divino Sospiro teve ainda a honra de atuar duas vezes para o Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, por ocasião da sessão de boas vindas aos Corpos Diplomáticos e nas Celebrações Oficiais do 25 de Abril.

A gravação do seu primeiro CD, para a editora japonesa Nichion, com repertório de W. A. Mozart, mereceu o galardão de bestseller naquele país; e a gravação da Ópera 'Antigono' (estreia mundial absoluta em 2011, no CCB) mereceu 5 Diapason da importante revista francesa. A sua última gravação ('Passio Iberica', 2019, Panclassics), dedicada a obras de compositores portugueses e espanhóis, tem tido grande destaque merecendo, em 2019, as 5 estrelas da revista italiana especializada 'Musica'. Muitos foram também os registos efetuados para o Canal Mezzo e para a RTP.

Desde a sua fundação, deu importância central ao estudo e investigação da música portuguesa do período setecentista e em parceria com a Parques de Sintra - Monte da Lua, criou o Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal (DS-CEMSP), sediado no Palácio Nacional de Queluz, focando o seu trabalho na recuperação das Serenatas criadas para o Palácio de Queluz, um património único em Portugal.

O DS-CEMSP, juntamente com a Parques de Sintra, é hoje membro efetivo da REMA, a mais importante rede europeia de música antiga, que reúne membros de 88 instituições culturais de 21 países europeus.

O ano de 2022 viu a orquestra Divino Sospiro estrear-se em algumas das mais importantes salas de concerto da Europa, entra as quais merecem destaque a Philharmonie de Paris, o Arsenal de Metz e os festivais de Halle, Saint Michelle en Thierrace, Lyon.  

Ao longo de vários anos, a Divino Sospiro tem vindo a recuperar a apresentar grandes obras da música portuguesa setecentista em estreia mundial moderna, como a ópera 'Antigono'. de Antonio Mazzoni, as Oratórias de Pedro António Avondano, a 'Morte de Abel', e 'Gioas Re di Giuda', ou as Serenatas 'L’Isola Disabitata', de David Perez, 'Endimione', de Niccoló Jommelli, 'Perseu', de João de Sousa Carvalho, 'La contesa delle stagioni', de Domenico Scarlatti. A gravação da Oratória 'Morte de Abel', de Pedro António Avondano, terá o seu lançamento discográfico em 2023, pela editora Glossa, que representa a orquestra faz desde 2019.