Acesso ao Parque de Monserrate: Alteração temporária de trânsito. Saiba mais /// Palácio da Pena: visita apenas com data e hora marcada, indicadas no seu bilhete; não existe tolerância de atraso. Saiba mais

Erich Hobart e Aapo Häkkinen no Palácio de Queluz

Conheça os músicos responsáveis pelo programa "Seis sonatas de Bach" no Palácio Nacional de Queluz, no dia 22 de outubro de 2022, um concerto no âmbito da Temporada de Música 2022 da Parques de Sintra. 

221022 01 Erichhobart1

Erich Hobarth (violino)

Nascido em 1956, em Viena, Erich Hobarth estudou violino com o professor Franz Samohyl, em Viena, e com o professor Sandor Vegh, na Universidade de Mozarteum Salzburg. Entre 1978 e 1980 integrou o quarteto Vegh.

De 1980 a 1987, foi maestro da Orquestra Sinfónica de Viena e, desde então, tem dirigido e sido solista no ensemble Concentus Musicus Wien, sob a direção de Nikolas Harnoncourt.

Foi igualmente co-fundador do Sexteto de Cordas de Viena, que integrou entre 1985 e 2010 e, desde 1987, é primeiro violinista do Quatuor Mosaiques, que executa repertório clássico em instrumentos históricos e com o qual se apresentou nos Gramophone Awards. Entre 2000 e 2009 foi igualmente diretor artístico da Camerata Bern.

Erich Hobarth tem mantido uma relação musical estreita e de longa data com o pianista András Schiff e maestro da Orquestra Capella Andrea Barca.

Desde 2013 é professor de violino na Universidade de Viena de Música, em Liepzig.

221022 02 Aapohakkinen2

Aapo Häkkinen (cravo)

Aapo Häkkinen iniciou a sua educação musical como coralista na Catedral de Hensínquia. Aos treze anos de idade, começou a estudar cravo com Elina Mustonen e Olli Porthan (órgão) na Academia Sibelius. Entre 1995 e 1998 estudou com Bob van Asperen no Conservatório Sweelinck de Amesterdão e, de 1996 a2000, com Pierre Hantaï em Paris, onde também beneficiou da generosa orientação de Gustav Leonhardt. Logo após a obtenção do seu diploma, em 1998, ganhou o segundo prémio e o prémio VRT na Competição de Cravo de Bruges. Foi igualmente galardoado com o prémio especial Norddeutscher Rundfunk special no Musikpreis 1997 pelas suas interpretações de música italiana.

Aapo Häkkinen tem-se apresentado como solista e maestro na maioria dos países europeus, na Turquia, em Israel, no Japão, na China, na Coreia, no Vietname, nos Estados Unidos, no Brasil e no México. Gravou para as editoras Aeolus, Alba, Avie, Cantus, Deux-Elles, Naxos e Ondine. Convidado frequente em programas de rádio e de televisão, apresenta o seu próprio programa na Classic FM na Finlândia. Para além do cravo, Aapo Häkkinen atua também regularmente com órgão, com clavicórdio e com pianoforte. Ensina na Academia Sibelius e leciona masterclasses internacionais. É igualmente Diretor Artístico da Orquestra Barroca de Helsínquia desde 2003.