Acesso ao Parque de Monserrate: Alteração temporária de trânsito. Saiba mais /// Palácio da Pena: visita apenas com data e hora marcada, indicadas no seu bilhete; não existe tolerância de atraso. Saiba mais

Le Concert de l'Hostel Dieu no Palácio de Sintra

Conheça os músicos que apresentam o programa "O Parnaso no feminino" no Palácio Nacional de Sintra, no dia 15 de outubro de 2022, um concerto no âmbito da Temporada de Música 2022 da Parques de Sintra. 

221015 01 Le Parnasse Au Féminin(1)©Florent De Gaudemar

Le Concert de l’Hostel Dieu

Desde a sua criação, em 1992, o Concert de L’Hostel Dieu tem-se revelado um nome incontornável da música barroca francesa. Este agrupamento distingue-se por uma interpretação sensível e dinâmica do repertório vocal e instrumental do século XVIII, privilegiando sistematicamente uma abordagem histórica e filológica. Sob a direção de Franck-Emmanuel Comte, este ensemble defende a originalidade e a especificidade do repertório regional, valorizando manuscritos barrocos conservados nas bibliotecas da região de Auvergne-Rhône-Alpes. Realiza, ainda, diversas reproduções e edições de partituras inéditas, enriquecidas pelas ligações privilegiadas que Lyon mantinha com a Itália.

Transpor a riqueza e a diversidade da música barroca para a nossa época é igualmente um dos principais eixos artísticos do Concert de L’Hostel Dieu. Através de colaborações artísticas estimulantes, o ensemble provoca o encontro entre a estética barroca e as culturas e os artistas de múltiplos horizontes. Renovando a forma concertante, as suas criações têm igualmente a vocação de sensibilizar novos públicos provenientes de gerações e de áreas geográficas diferentes. O Concert de L’Hostel Dieu coloca, ainda, no cerne dos seus projetos jovens solistas internacionais, identificados em academias ou grandes concursos europeus de canto, tais como o Concurso Internacional de Canto de Froville.

Os projetos do Concert de L’Hostel Dieu são apoiados pela cidade de Lyon, a Região Auvergne-Rhône-Alpes, a Direção Regional das Atividades Culturais de Auvergne-Rhône-Alpes, o Instituto Francês, o Centro Nacional da Música, a SPEDIDAM (Sociedade francesa de Coleta e Distribuição dos Direitos dos Artistas-Intérpretes) e a Casa da Música Contemporânea.

221015 03 Franck Emmanuel Comte©Jean Combier

Franck-Emmanuel Comte - diretor artístico

Maestro especializado na interpretação de repertório barroco e clássico em instrumentos antigos, Franck Emmanuel Comte deseja, acima de tudo, partilhar a sua paixão com o maior número de pessoas. Os seus projetos artísticos são, assim, frequentemente acompanhados por ações de sensibilização e de mediação.

Desde o final dos seus estudos no Conservatório Nacional Superior de Música e de Dança de Lyon, tem vindo a ocupar posições-chave e a responder a convites de casas de ópera (Nantes, Lyon, Studio Opéra de Paris…) e de orquestras (Orchestres des Pays de Savoie, Ensemble Orchestral Contemporain, Orchestre de l’Université d’Auckland, Collegium Musicum de Riga, Ensemble Arion de Montréal…).

Em 1992 fundou, em Lyon, o Concert de L’Hostel Dieu (CHD), agrupamento instrumental dedicado ao repertório barroco cuja Direção artística ainda assegura. Tem dirigido esta orquestra ao longo dos seus mais de 1.500 concertos e gravado duas dezenas de discos. La Francesina, a sua última gravação, editada por Aparté, foi distinguida como “disco barroco vocal do ano” pelos International Classical Music Awards de 2021.

Regularmente convidado para dirigir nas principais capitais europeias e mundiais (Barcelona, Londres, Moscovo, Riga, Cracóvia, Roma, Bruxelas, Madrid, Calcutá, Chennai, Pequim,…) e no âmbito de numerosos festivais internacionais (Montserrat, Brežice, Girona, Foligno, Wallonia, Nuits de Fourvière, Ambronay, Chaise-Dieu, Peralada, Händel Festpiel de Halle, Bayreuth Baroque Festival, MA Festival Brugges…), Franck-Emmanuel Comte dedica-se ao repertório barroco regional mas também a projetos transversais ou atípicos, como o Ballet Folia, recentemente co-criado com o coreógrafo Mourad Merzouki.

Muito envolvido nos temas da transmissão e da inserção profissional, ensina estética barroca na Universidade Católica de Lyon e preside ao júri do Concurso Internacional de Canto Barroco de Froville, que revela anualmente novos talentos.

Franck-Emmanuel Compte é, por outro lado, Diretor Artístico do Centro Musical Internacional J.-S. Bach de Saint-Donat e do Festival Barroco do Pays du Mont-Blanc.

221015 02 Saskia Salembier©Maciej Kotlarski

Saskia Salembier - mezzo-soprano

Saskia Salembier estudou violino no Conservatório de Annecy e integrou mais tarde o Conservatório Nacional Superior de Música de Pais, onde estudou violino barroco com François Fernandez. Paralelamente, formou-se em canto barroco no Polo Superior Paris-Boulogne sob a orientação de Howard Crook e de Isabelle Poulenard. Enriqueceu depois a sua abordagem técnica no mestrado em canto lírico da Alta Escola de Música de Geneva com Gilles Cachemaille. O seu gosto pelo repertório barroco levou-a depois a interrogar-se sobre a possibilidade de tornar a sua emissão vocal o mais plástica possível, a fim de poder adaptá-la a estéticas diferentes. Foi com este objetivo que se aperfeiçoou com Rosa Dominguez, na Schola Cantorum de Bâle. Hoje, Saskia Salembier dedica-se a uma carreira dupla como violinista e cantora, na convicção de que estas duas abordagens se enriquecem mutualmente e alimentam o seu imaginário artístico.

Solicitada por numerosos maestros sensíveis à sua personalidade musical dedicada, Saskia Salembier apresenta-se regularmente como solista com Hugo Reyne, Jean Tubéry, Marco Horvat, Franck-Emmanuel Comte e Gabriel Garrido, em França e na Europa

Salembier forjou uma forte relação musical com o cravista e organista Marc Meisel. Este trabalho resultou na criação de uma temporada de concertos mensais na região de Bâle. Daí nasceram igualmente programas com um efetivo mais numeroso com o Ensemble Opalescences. Ao lado de músicos que partilham as suas convicções, questionam as práticas históricas e procuram impregnar-se do espírito da época. Levam igualmente a cabo uma reflexão sobre como estimular a liberdade e o compromisso musical de cada um.

Saskia Salembier aborda com entusiasmo a ópera dos séculos XVII e XVIII. Apresentou-se nos papéis de Poppea, Euridice, Proserpina & Musica (Monteverdi), Medeia (Cavalli), Alceste, Armide (Lully), Proserpina (Charpentier), Sesto, Ruggiero (Haendel), Phedra (Rameau), Colette (Rousseau), Orphée (Gluck), Dorabella, Cherubino (Mozart) e intrerpreta os seus primeiros recitais de ópera com a Orquestra Barroca de Sevilha. A evolução do seu gosto pela arte do teatro levou-a assinar a encenação de várias produções de ópera. Rodeada por uma equipa de criadores, procura a harmonia entra a escultura do palco e o libreto e dedica-se a sublinhar a expressividade da partitura, combinando a releitura pessoal da obra e o respeito pela intenção do compositor.

Da sua discografia destaca-se a sua última gravação, lançada em 2019 com o Ensemble Faenza, dedicado à descoberta da notável recolha de áreas de corte do compositor Charles Dassoucy.

Desde 2012, Saskia Salembier ensina canto lírico e canto barroco no Conservatório de Nanterre. Na sua classe, os estudantes podem finalmente formar-se num curso profissionalizante de canto e linguagens barrocas.

Le Concert de l'Hostel Dieu é apoiado por

  • Musique Nouvelle en Liberté
  • Centro de Música Barroca de Versailles.