15 a 30 janeiro: encerramento temporário no âmbito do atual Estado de Emergência

Jardins Históricos da Pena, de Monserrate e de Queluz integram Itinerário Cultural certificado pelo Conselho da Europa

A Rota Europeia dos Jardins Históricos, que integra os Parques da Pena e de Monserrate e os Jardins do Palácio Nacional de Queluz, foi recentemente certificada como Itinerário Cultural pelo Conselho da Europa. Esta classificação é um importante reconhecimento do valor histórico, artístico e social dos jardins históricos, contribuindo para gerar uma oferta cultural e turística sustentável e de qualidade, que impulsione o desenvolvimento dos territórios onde estes jardins estão integrados.

 

O programa de Itinerários Culturais foi lançado pelo Conselho da Europa, em 1987, e visa contribuir para a promoção da identidade europeia e da cidadania através da divulgação do património cultural europeu comum, do desenvolvimento dos laços culturais e do diálogo, tanto no seio da Europa, como com outros países e regiões. Proporcionando uma viagem no tempo e no espaço, os 40 Itinerários Culturais certificados pelo programa evidenciam os denominadores comuns do património dos diferentes países e culturas da Europa.

 

Sediada em Espanha, a Rota Europeia de Jardins Históricos foi criada em 2016 com o objetivo de difundir, promover e valorizar os jardins históricos da Europa. Tem procurado agregar as várias entidades gestoras destes espaços, para constituir uma rede estável, que estimule o diálogo e o intercâmbio de boas práticas. Este organismo reúne alguns dos mais importantes jardins da Europa, como é o caso, a nível nacional, dos Jardins de Serralves, do Jardim Botânico Tropical de Lisboa, da Mata do Buçaco e do Parque Terra Nostra. A nível internacional, estão filiados na associação espaços como os Jardins Patrimoniais de Alhambra e Generalife (Espanha), os Jardins de Boboli (Florença, Itália) e os Jardins do Castelo Real de Varsóvia (Polónia), entre outros.

Jardins 2020 Logos Final