Castelo dos Mouros: trabalhos de manutenção no Centro de Apoio ao Visitante. Saiba mais | Caminho Pedonal de Santa Maria reaberto. Saiba mais | Palácio da Pena: visita ao interior apenas com data e hora marcada, indicadas no seu bilhete; não existe tolerância de atraso. Saiba mais

Por que razão há tanto nevoeiro e chuva em Sintra?

16 jan. 2023

Lui̚s Duarte PSML 6340 (1)

A chuva e o nevoeiro são duas das imagens de marca de Sintra. Verdade seja dita – fazem parte do seu encanto. Já ninguém se espanta ao ver que, independentemente da estação do ano, a manhã em Sintra começa com uma chuva miudinha. Quem aqui vive já conhece a máxima usada na época balnear: “a seguir ao almoço, [o tempo] vai abrir”.

 

Mas por que razão chove tanto em Sintra? Porque se forma o ‘capacete’ de nevoeiro em cima da serra e das praias?

 

Primeiro, há que ter um ponto muito importante em mente: o concelho de Sintra é muito grande. Tem mais de 300km2 e mais de 380 mil habitantes. Está subdividido em 11 freguesias e faz fronteira com o concelho de Mafra a norte, com os de Loures, Odivelas e Amadora a leste, Oeiras a sudeste e Cascais a sul. A oeste, é banhado pelo Oceano Atlântico. Por isso, o cenário chuvoso não é vivido por todos da mesma maneira.

 

Mas a verdade é que Sintra tem um clima especial, um nevoeiro que se distingue de todos os outros. E porquê? A proximidade com o Oceano Atlântico é um dos fatores que contribui para a existência deste microclima, mas o ponto mais importante nesta análise é o papel da Serra de Sintra enquanto barreira orográfica. Quando as massas de ar vindas do mar e do norte ‘encontram’ a serra, são forçadas a subir, o que origina condensação. E por que razão o tempo ‘abre’ à tarde? Graças ao aumento da temperatura – as massas de ar ficam menos frias e ao chegarem à serra já não existe um choque térmico tão acentuado.   

 

Os níveis altos de pluviosidade e humidade permitem a existência de uma vegetação única, composta por milhares de espécies – só no Parque da Pena foram identificadas mais de 340 espécies de árvores! E aqui gera-se uma ‘pescadinha de rabo na boca’: a ‘mancha verde’ ajuda também a regular a temperatura, a controlar os níveis de água nos solos e a manter as quotas de humidade na serra. Estão assim reunidas as condições perfeitas para a criação de um cenário digno de uma história de encantar. 

 

Aqui fica uma dica: se gosta de chuva e de passear com um tempo mais fresco, visitar o Parque da Pena num dia de nevoeiro é delicioso. E já sabe: se vier passear por Sintra logo pela manhã e apanhar muita humidade ou um bocadinho de chuva, não se preocupe – “a seguir ao almoço, vai abrir”.