Palácio da Pena: visita apenas com data e hora marcada, indicadas no seu bilhete; não existe tolerância de atraso

Missão da Escola Portuguesa
de Arte Equestre

Parques De Sintra EPAE Hero 03

Fundada em 1979 por um núcleo de cavaleiros constituído por alunos de Nuno Oliveira - Guilherme Borba, José de Athaíde, Filipe Figueiredo Graciosa e Francisco Cancella de Abreu –, contando também com o papel decisivo João Costa Ferreira, então diretor do Serviço Nacional Coudélico, a Escola Portuguesa de Arte Equestre promove o ensino, a prática, a preservação e a divulgação da Arte Equestre tradicional portuguesa.

 

Intérprete de uma arte secular, segue o modelo do que foi a Picaria Real - a academia equestre da corte portuguesa do século XVIII e princípios do século XIX. A Escola replica o modo de ensino dos cavalos e dos cavaleiros, os trajes, os arreios e os exercícios. Era no Picadeiro Real de Belém, mandado construir em meados do século XVIII, que se faziam as apresentações equestres perante a corte, tanto da Rainha D. Maria I como do seu pai, o rei D. José I, filho de D. João V - o rei português do fausto e do esplendor, que em 1748 fundou a Coudelaria de Alter Real para fornecer a casa real e a sua academia equestre.

 

Desde setembro de 2012, a Escola Portuguesa de Arte Equestre é gerida pela Parques de Sintra – Monte da Lua, S.A. (PSML). Sediada nos jardins do Palácio Nacional de Queluz, é na Calçada da Ajuda - no Picadeiro Henrique Calado, em Belém - que hoje o público pode assistir às apresentações regulares da Escola.

 

A estrutura da Escola integra um efetivo de cavaleiros composto por Mestre-Picador-Chefe, Picadores, Picadores Ajudantes e Aspirantes.

 

A Escola Portuguesa de Arte Equestre é dirigida desde outubro de 2018 pelo Eng.º Daniel Vaz Silva, e teve como primeiro diretor D. José d’Atahyde, de 1979 a 1981, seguindo-se-lhe no cargo: o Dr. Guilherme Borba, de 1981 a 2000; o Dr. Filipe Figueiredo (Graciosa), de 2000 a 2012; a Dra. Teresa Abrantes, de 2012 a 2016; e o Tenente-Coronel de Cavalaria (na reserva) Paulo Candoso, de 2016 a 2018.